domingo, 3 de outubro de 2010

Agora dava-me jeito

Agora dava-me jeito escrever um poema
Preferencialmente o poema que toda a gente
Gostaria de ter escrito
E dava-me jeito sentir um grande amor
Pela humanidade
Preferencialmente pelo desgraçado
Que perdeu tudo o que ganhou com o suor
De uma vida de trabalhos honestos
Para financiar uma guerra de mafiosos
Extorcionistas

Dava-me jeito sentir que sou um herói
Na luta contra o mal e o terror
Dava-me jeito não sentir esta dor
Que dói
Porque nada sinto

Dava-me jeito sentir o que penso
E escrever o que sinto
Mas só penso o que sinto 
E não sinto o que minto.



Sem comentários: