sábado, 7 de maio de 2011

Amo



Amo o que aprendo 
a sentir
sem medo
da noite
cair
do meu ser
para a madrugada
antes de ser

saudade
depois de ser

sonho
de verdade
não existe nas coisas
mas gostava que existisse
íntima
como o teu ventre
florisse.