sábado, 18 de outubro de 2014

A minha guitarra


A minha guitarra vai sempre
comigo
não se faz rogada
toco-lhe o umbigo
e ela me agarra
transfigurada
de esperança
é feita
de dor
cantada

A minha guitarra leva-me
pela mão
com que lhe toco
no coração
se quero farra
se a provoco
ela é perfeita
na reacção

Mas se estou triste
ela me solta
e me canta
e me escolta
e resiste
e pinta a manta
de tons profundos
nunca está cansada
a minha guitarra.

Sem comentários: