sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Palácios confusos


Nunca os mesmos
cada vez que avistaram
meus olhos
de longe
na penumbra de anos
nas brumas de décadas
ali estão
e ali ficam
palácios confusos edifícios
memórias que me elevam
a uma transparência
calma
sem vícios.

1 comentário:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Visões que se repetem nas cores e nas sombras dos nossos dias.

Os castelos ficam mas as nossas visões adulteram-se.