sábado, 13 de novembro de 2010

Momento único



As aves chegaram
Em bandos
Ou é o mar
Alçando voo
Sobre as iras 
A eternidade
Não espera
Não sonha
Nem se vai embora
 Não esquece
Quem não tem memória
Esquecer é humano
É história
Um piano fechado
Pode ser
Um desejo atroz
De transformar
O silêncio
Num momento único. 



1 comentário:

Djabal disse...

"(…) Calar, calar. É a grande aspiração que ninguém realiza. Ninguém, nem mesmo depois de morto. É como se nada jamais tivesse deixado de ressoar desde os começos, nem mesmo o que já não podemos reconhecer nem rastrear, nós, os vivos, os que talvez vivam, vivemos, alertados e inquietados por inúmeras vozes cuja procedência ignoramos, de tão remotas e sufocadas, ou quem sabe já cavadas tão fundo." Javier Marias by André de Leones