sábado, 6 de novembro de 2010

Idade média

A idade e o tempo deitam-se na mesma água
E acordam longe de tudo o que faz o encanto
De dois rios que se atravessam
Seguindo em direcções diferentes
A caminho do mesmo espanto
Cada vez mais distantes
As idades iniciais
Médias
Finais
São tão diferentes disso
Que as acho iguais.


1 comentário:

Djabal disse...

Passou por aqui uma emoção diferente, ao ler a imagem dos rios atravessados em direção diferente.
Parei para imaginá-la. E gostei da sugestão. Para ao final ficar em paz com a igualdade, apesar dos pesares.
Boa, muito boa mesmo. Abraços, meu amigo poeta.

Obs: Mandei-te meus votos dia seis passado pelo email (gmail) dos meus arquivos. Será que ele ainda está válido? Caso não esteja, fique com meus votos agora e sempre de feliz aniversário.