terça-feira, 30 de junho de 2009

Eu nunca te disse adeus

Eu nunca te disse adeus
Não saberia fazê-lo
Alguma vez
Parti
Como parto sempre
Triste
E sem esperança
Por necessidade
Muito mais
Do que por vontade
Na morte
Tropeço
Na vida
Não há regresso.

2 comentários:

007BONDeblog disse...

Carlos

Boa tarde

Sua poesia tem um componente que me agrada muito: A BELEZA DA SIMPLICIDADE.

Um abraço

Luísa N. disse...

Oi, Carlos, parabéns pelo belo texto!
Parece que hoje fiz algumas descobertas: que o Multivias está em mais algumas listas de nossos amigos ex-Gos. Vou colocá-lo em nosso lista de parceiros, combinado? Os parceiros aparecem também em 'BlogsAmigos', no final das páginas.
Um abraço, amigo!