sexta-feira, 1 de maio de 2015

Como nunca


O mais difícil  
são as distâncias
de impossíveis palavras 
no lugar do que é dito
escutar fonemas
como outras águas
brotando 
de um invólucro fissurado 
ver que há o fora das coisas
e que não é possível
falar das coisas por dentro
por não terem lá nada
ou nada mais
que o nosso pensamento
de ausências
difíceis.

Sem comentários: