segunda-feira, 2 de março de 2015

Olhos de ver

Não vou entregar-me 
à tristeza
ela é asa 
cansada 
sobre o mar
seduz
a certeza do vento 
sopra
um mistério
empedernido 
não vou sequer escutar
não vou ter o prazer
da música
dos abismos
vou resistir 
ao apelo da tristeza
como quem resiste
ao adeus
e fica triste.

Sem comentários: